Xeque-Mate: Fabiano Gomes é preso pela Polícia Federal em João Pessoa

A Polícia Federal prendeu o radialista Fabiano Gomes na manhã desta quarta-feira (22) em João Pessoa, no bojo da Operação Xeque-Mate, que investiga um esquema de corrupção na Prefeitura de Cabedelo. O desembargador João Benedito, do Tribunal de Justiça da Paraíba, foi quem determinou a prisão do radialista. Policiais levaram Fabiano para Cabedelo, onde fica a sede da PF.

Fabiano é apontado como o articulador que resultou na compra do mandato do ex-prefeito de Cabedelo, Luceninha, que renunciou ao cargo em 2013. Uma ação em conjunto do Ministério Público, Polícia Federal e o GAECO (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado), realizaram no dia 03 de julho (corrente ano) o cumprimento de dois mandados de busca e apreensão, sendo um no trabalho e outro na casa do radialista.

Após a renúncia de Luceninha, Leto Viana (PR) assumiu as funções administrativas e concorrendo ao pleito de 2016, sendo reeleito. Em 2018, com o avançar das investigações, Leto Viana (PR) foi afastado das atividades do município.

Desde o dia 03 de julho, Fabiano Gomes cumpria medidas cautelares impostas pela justiça, sendo proibido pelo desembargador de deixar o território nacional. Em depoimento no dia 27 de abril, Fabiano havia confessado espontaneamente o cometimento do crime, explicando minuciosamente como ocorreu a compra do mandato do prefeito Luceninha.

O nome do radialista é apontado como peça fundamental no centro da Operação Xeque-Mate. Ainda no depoimento, Fabiano havia esclarecido como ocorreu o processo eleitoral que elegeu Luceninha, e destrinchando a compra de seu mandato. O comunicador revelou sobre os acertos para o recebimento de verbas públicas através de publicidade.  Veja abaixo.

Blog do Galdino