Traição virou especialidade de Célio, sempre abandonou quem lhe deu a mão

Os guarabirenses passaram acompanhar nas últimas semanas as estratégias de trairagem ao ex-governador Ricardo Coutinho. Essa manobra é orquestrada pelo secretário executivo do Orçamento Democrático Estadual, Célio Alves (PSB).  O mariense foi inventado na política estadual por Ricardo, teve a oportunidade de ocupar importantes funções na administração do mago (Ricardo), além de coordenar a campanha de reeleição do socialista em 2014. Não podermos esquecer que Célio concorreu ao cargo de deputado estadual em 2018, atendendo um pedido de Ricardo Coutinho.

Célio passou a ser o mascote de estimação do ex-governador, conquistou a confiança do chefe e foi capaz de induzir Ricardo ao erro. Através de Célio, Ricardo deixou de contar com o apoio de lideranças importantes em Guarabira, a exemplo do deputado estadual Raniery Paulino e sua família. Célio nunca ofereceu boas informações dos Paulinos a Ricardo, caso isso acontecesse, o mariense perderia a oportunidade de dar ordens em Guarabira.

Célio passa a assumir a mesma estratégia utilizada para acompanhar Ricardo, na ocasião, traiu a família Toscano e os Cunha Lima e passou a seguir o governador a época, Ricardo Coutinho. Atualmente se observa que João Azevêdo e Ricardo Coutinho romperam politicamente e não pretendem manter uma reaproximação. Apesar de expressar “amores” a Ricardo, Célio pretende traí-lo e seguir o atual governador.

O único objetivo de Célio é atrapalhar qualquer possibilidade do governador João Azevêdo de apoiar uma candidatura com chances remotas de vencer o pleito municipal de Guarabira. O socialista tenta direcionar João a lançar um nome que concorra às eleições pelo partido que assumirá na Paraíba, e assim, distancia-lo de um possível apoio ao candidato do partido da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), o advogado Antônio Teotônio.

Esse plano foi colocado em prática por Célio em 2016, na ocasião, orientou Ricardo a lançar a candidatura a prefeito de Josa da Padaria, na época, mediu esforços para manter distante qualquer convivência de Ricardo com os Paulinos. O objetivo era atrapalhar uma possível vitória da ex-prefeita Fátima Paulino (MDB), caso saísse vitoriosa, poderia surgir uma aproximação com Ricardo e assim atrapalharia os planos de Célio, que só pensava em mandar nos cargos do Governo em Guarabira. Esse plano não saiu da cabeça de Célio e pretende coloca-lo em ação novamente em 2020. É nítido que o socialista tenta também induzir João ao mesmo erro que induziu Ricardo em Guarabira.

Será que Ricardo se sente satisfeito com a atitude de Célio? O mago acreditou e Célio lhe pagou com traição. João pode ser o próximo a ser traído, basta acreditar e lhe conferir bons cargos. Vamos refletir com a música abaixo, interpretada por Beth Carvalho e Bateria da Mangueira.

Blog do Galdino