Teotônio adotou o silêncio em discussões polêmicas e perde possíveis pontos na corrida eleitoral

O silêncio.

É assim que o advogado Antônio Teotônio (PDT) tem se comportado nos últimos dias. O pré-candidato a prefeito por Guarabira adotou o silêncio como estratégia, evitando opinar sobre assuntos considerados polêmicos no campo político de Guarabira e da Paraíba. Contudo, é nítido o desejo de governar o município e encontra nesta caminhada algumas dificuldades.

Citarei três situações consideradas polêmicas, que neste contexto Teotônio tenha optado o silêncio. A primeira surgiu acompanhada da felicidade ao conseguir emplacar uma aliada na direção Administrativa do Hospital Regional de Guarabira, porém, a alegria durou por algumas horas. Isso porque o governador João Azevêdo (Cidadania) decidiu tornar sem efeito no dia seguinte a indicação do advogado para o cargo administrativo.

Diante desta decisão de João, Teotônio adotou o silêncio. Não há relatos que o advogado tenha procurado a vice-governadora Lígia Feliciano, líder de seu partido (PDT), para contestar o ato do governador João, e assim seguiu o caminho de consolação política com seus aliados.

Durante Festa da Luz, Teotônio recebeu o casal Feliciano em sua residência. Na sequência se dirigiram ao camarote de Marcelo Bandeira, no parque de eventos. (Foto: Arquivo/Blog do Galdino).

Outra instabilidade enfrentada por Teotônio foi diante da presidente municipal de seu partido, a Srª Mônica Bandeira (PDT). Mônica gravou um áudio, que acabou vazando, esclarecendo aos aliados do advogado que as bebidas e comidas consumidas no camarote durante a Festa da Luz de Guarabira, foram bancadas pelo vereador Marcelo Bandeira e pelos correligionários do parlamentar. Dando a entender, que o pré-candidato a prefeito não contribuiu com os custos do espaço (camarote).

Teotônio visitou o local na companhia da vice-governadora Lígia Feliciano e do deputado federal Damião Feliciano. Com a circulação do áudio, Teotônio preferiu silenciar, assim, evitou qualquer discussão com a presidente municipal do PDT, partido que pretende disputar a Prefeitura em outubro. O advogado procurou manter a aliança política com Marcelo e Mônica, considerados essenciais para a sua pré-candidatura.

Teotônio e Raniery se encontraram na feira-livre de Guarabira em 2019 (Foto: Arquivo).

Para finalizarmos, também identificarmos que o advogado preferiu se ausentar e não manifestou qualquer ato de solidariedade ao governador João Azevêdo (Cidadania), como também a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), ao sofrerem ataques políticos após um pedido de impeachment ser apresentado pela bancada de oposição e protocolado na Assembleia Legislativa da Paraíba. Avalia que Teotônio silenciou para evitar qualquer estremecimento com o deputado estadual Raniery Paulino, líder da bancada oposicionista, qual deseja manter uma união política para as eleições de outubro.

Desta forma, Teotônio evitou formular uma defesa e assim perdeu a chance de ganhar mais prestígio com o governador João Azevêdo. Esse silêncio também deixou escapar pontos de um possível apoio estadual a sua pré-candidatura em Guarabira.

Acredita-se que essa linha silenciosa deverá ser mantida por Teotônio até o pleito eleitoral.

Blog do Galdino/Raelson Galdino 

error: Este conteúdo é protegido!