Print: Filho de Célio Alves tem cadastro aprovado para receber o Auxílio Emergencial

Célio e seu filho, Olívio.

O Secretário Executivo do Orçamento Democrático Estadual, Célio Alves, ainda não justificou os motivos do seu filho se cadastrar e ser aprovado como beneficiário do Auxílio Emergencial do Governo Federal. O rapaz mora em Guarabira com os avós maternos, além de conviver com o pai. Um print extraído do Portal da Transparência com o nome do garoto foi publicado em grupos de WhatsApp.

O benefício é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados. O programa foi criado para fornecer proteção emergencial durante o período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírs – Covid-19.

Imagem capturado do site Portal da Transparência do Governo Federal.

Célio recebe um salário considerado suficiente para se manter juntamente com os seus familiares. O secretário tem apenas um único filho. O padrão de vida de Célio é considerado de média-alta, o radialista fatura por mês o valor de R$ 12.653,34 (doze mil seiscentos e cinquenta e três reais e trinta e quatro centavos), conforme o sagres, através do cargo de Secretário Executivo do Orçamento Democrático Estadual.

Célio está no comando do ODE há dezoito [18] meses, durante este período ele recebeu um montante de R$ 227.760,12 (duzentos e vinte e sete mil setecentos e sessenta reais e doze centavos).  O silêncio de Célio sobre o assunto só constata a aprovação da iniciativa do menino que buscou adquirir o beneficio dos necessitados.

Imagem capturada no sagres

Quem se pronunciou foi Olívio, ele escreveu uma nota e publicou nas redes sociais. O jovem explicou que não se cadastrou ou recebeu qualquer valor do Auxílio Emergencial. Em nota, disse que a utilização dos seus dados pessoais, foi uma forma de atacarem o seu pai. Olívio citou o episódio ocorrido com o filho do apresentador Willian Bonner, e classificou a atitude de “criminosa”. Veja.

NOTA

Em respeito às pessoas que me conhecem, às que acompanham a atuação de meu pai como figura pública, e para preservar a verdade, sinto-me no dever de prestar os seguintes esclarecimentos:

1. Neste final de semana, tomei conhecimento da circulação em redes sociais de informações sobre cadastro do auxílio emergencial em meu nome. Jamais fiz esse cadastro, como também não recebi o valor a ele correspondente, cujo depósito se deu há dois meses, em poupança digital criada pela Caixa Econômica Federal, de onde retornará ao Tesouro Nacional, haja vista que não saquei.

2. Sou de maior idade, mas mesmo assim, meu pai não deixou um único momento de garantir minha sobrevivência, agindo assim desde meu nascimento. Logo, não tenho a necessidade de receber o auxílio emergencial.

3. Quem fez o cadastro utilizando meus dados de forma indevida, covarde e criminosa, assim agiu para atacar o homem público Célio Alves, que, ao longo de sua vida, não carrega a mácula da corrupção, e tem tido a coragem de, durante a pandemia que estamos vivendo, apontar erros e omissões de poderosos de Guarabira, como também de questionar o afrontoso aumento de salário que a Câmara Municipal de Guarabira aprovou para prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, vereadores e seu presidente.

4. Esse caso usando meu nome para envolver meu pai não é o primeiro nem será o último. Há poucos dias, usaram da mesma canalhice com o apresentador do Jornal Nacional, Willian Bonner, e seu filho. Também foram alvos de igual trama o empresário Luciano Hang e o General Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, que são muito próximos do presidente Jair Bolsonaro.

5. A Paraíba sabe das muitas fake news, durante a pandemia, criadas por gente que busca, com base na mentira, ofender o Governo da Estado, do qual meu pai faz parte. Até mesmo inquérito em curso no Supremo Tribunal Federal descobriu uma filial na Paraíba do chamado Gabinete do Ódio, que age para destruir reputações.

6. Meu pai tem origem pobre e não fez patrimônio na comunicação, na gestão pública e na política. Meu maior orgulho de ser seu filho é esse: a retidão de caráter que tem e que sempre buscou transmitir-me.

Olívio de Sales Neto

Blog do Galdino