Para líder do PMDB no Senado, aprovação da reforma trabalhista não implica em fortalecimento de Temer

O líder da bancada do PMDB no Senado, Raimundo Lira, não acredita que a aprovação da reforma trabalhista pelo Senado, na última terça-feira (11), implique diretamente no fortalecimento do presidente Michel Temer no Congresso Nacional. A matéria foi aprovada por 50 votos a 26, depois de uma sessão tumultuada, com tentativa de obstrução pela oposição.
 “É provável, sim (que saia mais fortalecido), mas não vejo relação direta, porque foi uma decisão realmente dos senadores”, avaliou Lira.
O senador destacou que há um compromisso do governo em modificar três pontos do texto relacionados a jornada intermitente, indenização por tempo de trabalho e a postos de trabalho insalubres para lactantes. Contudo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) disse em sua cota pessoal no Twitter que não vai aceitar mudanças na reforma trabalhista.
“A Câmara não aceitará nenhuma mudança na lei. Qualquer MP não será reconhecida pela Casa”, escreveu Maia.
Blog do Galdino/Blog do Gordinho