Faltou jogo de cintura de Teotônio para evitar vexame com nomeação sem efeito em Guarabira

Todos nós sabermos que o advogado Antônio Teotônio (PDT), pré-candidato a prefeito, tentou emplacar uma aliada para a Direção Administrativa do Hospital Regional de Guarabira. Até conseguiu esse feito no fim de janeiro, porém, durou algumas horas na função. O que ninguém notou foi à falta de um bom jogo de cintura dos responsáveis para evitar um constrangimento político em pleno ano eleitoral. Quem não ficou para trás foi o ex-prefeito de Duas Estradas, Edson Gomes (Edinho da Farmácia), que se articulou e mostrou equilíbrio ao evitar sua transferência do Hospital Regional para a UPA.

O governador João Azevêdo tornou sem efeito a nomeação da jovem Maiscela Lima, que ocuparia a função de Edinho, decisão que pegou Teotônio de surpresa. Chamo a atenção de todos para a brecha que ninguém conseguiu observar, sendo notada apenas dezessete [17] dias depois do constrangimento. Simples, o advogado no foi consultado pela cúpula estadual sobre a decisão que seria tomada por João, caso isso acontecesse, o vexame de Teotônio poderia ser evitado.

Ou seja, com a permanência de Edinho no Regional, Maiscela poderia ser remanejada para a Direção Administrativa da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), cargo que seria ocupado pelo ex-prefeito de Duas Estradas e que permanece em aberto. Assim, evitaria um constrangimento político sobre a decisão de João ao tornar sem efeito o único pedido empregatício de Teotônio para o Governo Estadual.

Diante disso tudo, Teotônio saiu enfraquecido sem o comando do Regional e muito menos o da UPA. Uma coisa é certa, ele conseguiu faturar um vexame político com uma indicação que durou poucas horas no cargo.

Blog do Galdino/Raelson Galdino