Escrituras rupestres corre o risco de destruição em Sítio Arqueológico de Araçagi

Uma área arqueológica sofre um crime de destruição de suas escritas rupestres, localizado no Sítio Lagoa do Caju, Zona Rural de Araçagi, Região Metropolitana de Guarabira. A professora Silvinha França registrou o descaso através de fotografias, ao realizar uma visita no local com alunos.

A professora Silvinha realizada uma excursão escolar com alunos e confessou que sofreu um impacto ao se deparar com a destruição, afirmando que ficou “triste e revoltada”.

“Estava realizando um trabalho com alunos das escolas Francisco Pessoa e Luiz Barbos. Fiquei muito triste e revoltada ao se deparar com aquela imagem de destruição”, disse.

Silvinha contou que faz um trabalho de proteção e valorização do espaço há 15 anos, revelando que no início implantou placas de identificação no local, disse que foram destruídas após dois meses de instaladas.

“Há exatamente 15 anos que estudo e preservo o Sítio Arqueológico, no início junto com alunos instalamos placas de identificação, infelizmente duraram apenas dois [02] meses, foram destruídas”, argumentou.

Silvinha revelou que o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) tomou conhecimento da destruição. O órgão é o responsável pela preservação de espaços arqueológicos no país. De acordo com Silvinha, a instituição tomará as providências sobre o episódio.


Blog do Galdino/Raelson Galdino