Com força máxima no Governo, Célio Alves indica aliado para administrar UPA de Guarabira

Conforme tinha comunicado em perfil do Facebook, o ex-diretor do Hospital Regional de Guarabira, Gilson Cândido, de fato recursou o cargo na direção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), também em Guarabira. Com isso, Júnior Fernandes assume a direção da unidade (UPA) de saúde. A nomeação de Júnior foi publicada na última terça-feira (18) no Diário Oficial do Estado da Paraíba.

Júnior Fernandes é aliado do secretário executivo do Orçamento Democrático Estadual, Célio Alves (PSB). Diante da crise enfrentada no ninho girassol de Guarabira, Célio conseguiu dar a volta por cima e permanece indicando aliados para ocupar cargos do Governo na cidade. Em seu perfil do Facebook, Júnior agradeceu o apoio de Célio e de seus aliados, a exemplo do ex-vereador Beto Meireles.

O que mais chama a atenção das pessoas é o silêncio de Gilson Cândido. Depois que publicou e excluiu do Facebook o comunicado recursando o comando da UPA, ninguém ouviu Gilson se pronunciar sobre as mudanças do Governo em Guarabira. Vale ressaltar que Gilson já administrou a UPA entre os anos de 2015 e 2018, naquela época Júnior Fernandes também ocupava uma função na unidade.

A força de Célio nos quadros do Governo Estadual em Guarabira é enorme, e isso aumenta a chance do mariense ser indicado pelo governador João Azevêdo (Cidadania) para concorrer a Prefeitura de Guarabira nas eleições de outubro. O vereador Renato Meireles (PSB) defendeu essa ideia recentemente numa entrevista ao repórter Rodrigo Sousa, da Rádio Cultura FM.

Célio faz questão de demonstrar seu prestígio com João Azevêdo. Quem duvidará que Célio não represente o Governo Estadual nas eleições de Guarabira? É claro e evidente que Célio é João, e João é Célio.

Caiu por terra que Teotônio não tem cacique político para ser o candidato do Governo Estadual em Guarabira. O pré-candidato pelo PDT até conseguiu emplacar uma aliada na direção administrativa do Hospital Regional, porém, a nomeação durou algumas horas. Isso porque o governador João Azevêdo tornou sem efeito o cargo de Maiscela Lima (aliada de Teotônio) um dia após sua nomeação.

Blog do Galdino/Raelson Galdino