Calvário: Livânia Faria cita os deputados Hugo Motta e Nabor Wanderley em delação premiada

Em sua delação premiada, Livânia Farias fala sobre a venda e compra de um produto, envolvendo a Empasa e os deputados Nabor Wanderley e Hugo Motta, pai e filho. O valor seria de R$ 1 milhão.

Livânia é acusada de integrar uma Organização Criminosa (Orcrim) pelo Ministério Público, através do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), que recebia propinas através do desvio de recursos públicos por Organizações Sociais que atuavam nas áreas de Saúde e Educação, Paraíba. Ela foi presa em março de 2019 e acabou solta após assinar acordo de colaboração.

Colaboração essa que tem pautado as demais fases da Operação Calvário, juntamente com o acordo feito por outro integrante da Orcrim, segundo o Gaeco, o ex-secretário de Turismo Ivan Burity, também preso e solto após decidir colaborar.

Portal Correio